Notícia

Microplásticos no solo inibem o crescimento de vermes

Microplásticos no solo inibem o crescimento de vermes


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Microplásticos impedem o crescimento de vermes

Vermes que vivem em solos microplásticos não continuam a crescer, eles até perdem massa corporal. Esta é mais uma prova dos efeitos nocivos dos microplásticos no meio ambiente e nos organismos vivos nele contidos.

O atual estudo da Anglia Ruskin University determinou agora que os vermes não podem continuar prosperando em solos contendo microplásticos. Os resultados do estudo foram publicados na revista de língua inglesa "Environmental Science and Technology".

Minhocas perderam peso

Cada vez mais microplásticos estão entrando em nosso ambiente. Os resultados mostram que isso tem um grande impacto na natureza. As minhocas (Aporrectodea rosea), que entraram em contato com o solo com polietileno de alta densidade (HDPE) por 30 dias, perderam cerca de três por cento do seu peso corporal em comparação com os vermes que viviam em solos semelhantes sem polietileno. Esses animais até ganharam cinco por cento em peso corporal no mesmo período.

Os microplásticos afetam a digestão dos vermes?

As razões específicas para a perda de peso observada ainda não são claras, mas os pesquisadores suspeitam que possam ser devidas aos efeitos dos microplásticos na digestão dos vermes. Esses efeitos incluem constipação e irritação do trato digestivo, limitação da ingestão de nutrientes e redução no crescimento.

Medos de um impacto na agricultura

Se os microplásticos inibem o crescimento de minhocas em larga escala, isso também pode afetar a saúde e a agricultura do solo, uma vez que os vermes são parte integrante do ecossistema de terras aráveis.

A extensão da contaminação é amplamente desconhecida

O estudo publicado complementa um número crescente de estudos que examinam os efeitos de partículas microscópicas de plástico em invertebrados e peixes. Embora ainda seja muito cedo para tirar conclusões sobre os efeitos na saúde humana, estudos já mostraram que os lugworms aquáticos são danificados pelas partículas plásticas. Potenciais efeitos nocivos em peixes e moluscos também foram identificados. Microplásticos já foram encontrados, por exemplo, na água da torneira, nos oceanos ao redor do mundo, nas fezes humanas e no ar. Em muitos lugares, os solos provavelmente abrigam um grande número de partículas microplásticas que são depositadas nas águas residuais, na água e no ar devido à sua presença. No entanto, a extensão da contaminação é amplamente desconhecida, embora existam estudos europeus que relatam mais de 700 a 4.000 partículas de plástico por quilograma de solo em algumas áreas agrícolas. (Como)

Informação do autor e fonte

Este texto corresponde aos requisitos da literatura médica, diretrizes médicas e estudos atuais e foi verificado por médicos.

Inchar:

  • Bas Boots, Connor William Russell, Dannielle Senga Green: Efeitos dos microplásticos nos ecossistemas do solo: acima e abaixo do solo, em ciência e tecnologia ambiental (consulta: 12.09.2019), ciência e tecnologia ambiental



Vídeo: Aula 02 - Interações microbianas (Julho 2022).


Comentários:

  1. Onur

    Cá entre nós, gostaria de pedir ajuda aos usuários deste fórum.

  2. Felkis

    Seu pensamento será útil

  3. Duc

    Sinto muito, mas, em minha opinião, você está enganado. Escreva para mim em PM, vamos conversar.

  4. Tygogar

    Este tópico é simplesmente incomparável :), é interessante para mim)))



Escreve uma mensagem